Análise de óleo – o que é e qual sua importância

Lubrificantes industriais e suas aplicações

A lubrificação é essencial em determinados segmentos, sobretudo os industriais. Trata-se de uma necessidade comum em maquinários, motores, correntes, metais, entre outros elementos que exigem alto desempenho. 

Nesse sentido, faz-se muito importante a análise do óleo, pois os lubrificantes precisam ser adequados para desempenhar sua função da melhor forma possível. 

No post de hoje vamos abordar um pouco sobre a necessidade de análise do óleo lubrificante, os tipos e o processo como um todo. Continue lendo e entenda mais. 

Por que fazer a análise do óleo?

O óleo lubrificante possui como principais características a viscosidade e a densidade. A viscosidade refere-se a resistência em relação ao seu escoamento, assim quanto mais viscoso mais difícil de escorrer e maior sua capacidade de uso. 

Já a densidade refere-se à massa do volume do óleo a determinadas temperaturas. A análise da densidade tem como intuito verificar o índice de contaminação ou deterioração do óleo. 

Ao analisar esses e outros fatores é possível obter uma série de informações sobre o estado do equipamento onde esse óleo está atuando.

Em geral, a análise do óleo está ligada principalmente à economia, seja de tempo, de recursos, manutenção e aumento da vida útil. Veja os benefícios:

Melhor uso dos equipamentos

Em geral, toda empresa quer que seus equipamentos funcionem da melhor forma possível. A análise do óleo vai justamente otimizar o desempenho e confiabilidade dos ativos. 

Prevenção de problemas

A manutenção preditiva é uma das principais vantagens da análise de óleo, visto que permite avaliar não só a condição dos fluidos, mas também como ela se comporta no equipamento. 

Redução do desgaste das peças

Quando o óleo está com suas características adequadas, reduz o atrito entre as peças, reduzindo seu desgaste natural. Isso ajuda a reduzir a temperatura, a corrosão e facilita a limpeza. Tudo isso aumenta a vida útil do equipamento e dos insumos, o que gera uma maior economia. 

Redução do número de trocas de óleo

Com a análise do óleo é possível avaliar sua integridade, e se possui as propriedades necessárias para a sua finalidade. É uma forma de potencializar o tempo de troca, reduzir desperdícios e acima de tudo custos na linha de produção.   

Reduz custos

Com menos falhas, menor desgaste das peças e a potencialização do tempo de vida dos fluidos a operação ganha assertividade, reduz o prazo de execução dos processos. Outro ponto relevante é a redução dos custos de manutenção por conta de problemas nos equipamentos. 

Como funciona a análise de óleo

Vamos aos pontos-chave da análise do óleo:

O primeiro passo é a coleta do óleo realizada pelo profissional operador da máquina. Trata-se de um procedimento que pode influenciar na análise, portanto precisa ser feito com atenção. A amostra colhida precisa representar o todo e não estar suscetível a contaminações. 

É recomendado a coleta de 50 a 200 ml de uma amostra homogênea, a qual precisa ser mantida em um frasco específico e encaminhada para a análise. É importante levantar informações sobre o lubrificante e o equipamento onde ele é utilizado, entre elas:

  • Tipo de óleo usado (básicos minerais, básicos sintéticos e semissintéticos); 
  • Período em que foi aplicado no equipamento;
  • Quais as especificidades do equipamento;
  • Quais as peças e componentes do equipamento o óleo é aplicado.

O passo seguinte é o ensaio, em que são definidos os parâmetros do óleo, bem como suas condições de aplicação. 

Tipos de análises

Cada análise obedece à finalidade do óleo, bem como as especificidades.

Teste de aparência

Visa identificar 3 aspectos no óleo por meio de análise visual: coloração, homogeneização e partículas em suspensão. É o tipo de análise mais simples, que visa identificar as fases do lubrificante e se há algum contaminante visível a olho nu. 

Caso esse ensaio revele que o óleo possui mais de uma fase separada, é possível reportar de imediato sua ineficiência, sem a necessidade de outras análises mais profundas. 

Ensaio de cor

O ensaio de cor avalia o grau de uso do óleo. Dependendo do tipo de óleo, não exige equipamentos específicos, pois avalia apenas sua tonalidade, como é o caso de alguns lubrificantes de origem mineral. Nos óleos mais claros, utiliza-se o colorímetro, que permite avaliar o espectro de cor ideal. 

Basicamente, se estiver mais escuro, está mais gasto. Essa tonalidade varia entre o marrom e o preto, a qual deve ser comparada com a tonalidade da amostra original de fábrica. 

Análise de óleo físico-química

As análises físico-químicas visam identificar as condições gerais do óleo. Seu propósito é identificar sua vida útil média e do maquinário. 

Nesse tipo de análise são examinados:

  • Aparência do óleo 
  • Índice de água;
  • Índice de viscosidade;
  • Densidade;
  • Viscosidade cinemática (entre 40ºC e 100ºC);
  • Acidez Total – TAN;
  • Ponto de brilho;
  • Odor;
  • Percentual de fuligem;
  • Fuligem;
  • Contagem de partículas.

Análise espectrométrica

A análise espectrométrica ou espectrofotometria é o método para medir o quanto uma determinada substância pode absorver luz. No caso do óleo lubrificante visa prevenir falhas no equipamento e prolongar a vida útil, por meio da verificação de desgastes, contaminantes e como os aditivos se comportam. Trata-se de uma metodologia preventiva, de acompanhamento e comparação de resultados.

Entre os elementos definidos nesse tipo de análise estão:

  • Metais de desgaste: Alumínio, Cobre, Cromo, Chumbo, Estanho e Níquel. 
  • Aditivos: Cálcio, Magnésio, Molibdênio e Zinco.  
  • Contaminantes: Silício.

Ensaio de infravermelho

O ensaio infravermelho tem o objetivo de avaliar a capacidade de oxidação, a nitratação, a sulfatação e o nível de fuligem do óleo.

A análise dos lubrificantes é uma das etapas da manutenção preditiva mais indispensáveis Com ela é possível potencializar o desempenho, aumentar a confiança, bem como a disponibilidade dos equipamentos, de modo a identificar possíveis falhas antes que se tornem problemas maiores. 

O mais importante aqui é definir um prazo para essa intervenção, de modo a eliminar a necessidade de paradas emergenciais para manutenção, o que pode gerar prejuízos sérios para o negócio. Somos A ServiLub, empresa especialista em produtos e serviços para lubrificação industrial, incluindo diferentes tipos de óleos. Oferecemos tudo que sua empresa precisa um programa de lubrificação de alta qualidade. Para saber mais sobre nossas soluções conheça o nosso site.

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.